Melissa e sua nota baixa no Índice de Transparência da Moda

A moda é um dos maiores setores em atividade do mundo, movimentando milhares de dólares e reais todos os anos. Ao falar sobre uma indústria tão rica, também é importante falar sobre seus processos e o quanto eles são sustentáveis. No entanto, nem sempre as empresas de moda – incluindo roupas, sapatos e acessórios – divulgam de forma clara seus processos de produção. É pensando nisso que existe o Índice de Transparência da Moda.

Lançada no Brasil em 2018, a iniciativa tem o objetivo de analisar como empresas de moda comunicam ao público suas cadeias produtivas. A pesquisa é desenvolvida pela equipe da Fashion Revolution Brasil, sempre buscando informações divulgadas pelas próprias empresas. Com os dados em mãos, a ideia é incentivar que as empresas tenham produções cada mais responsáveis, tanto no âmbito ambiental, quanto no social. Ao todo, as companhias são avaliadas em cinco categorias: Políticas e Compromissos; Governança; Rastreabilidade; Conhecer, Comunicar e Resolver e Tópicos em Destaque.

Mas o que isso tem a ver com a Melissa? Segundo os dados do índice de 2019, a marca da Grendene é uma das menos transparentes em relação aos seus processos. Nenhuma companhia atingiu 100% de aprovação. A que chegou mais perto foi a C&A, com 64%. Segundo os dados, a empresa mantém boas metas sociais e ambientais e também se preocupa com a parte trabalhista, incluindo a parte salarial. Já a Melissa ficou na parte entre 0 e 10% apenas, ao lado de outras marcas como Arezzo, Colcci, Moleca, TNG, entre outras.

Melissa teve 3% de pontuação

Na prática, isso quer dizer que a Melissa é pouco clara quanto aos seus processos, seu desenvolvimento sustentável e socioeconômico de seus colaboradores. Talvez você esteja pensando: mas no site da Melissa há toda uma parte de sustentabilidade e metas. Sim, há. E, embora isso seja importante, as metas e ações práticas da marca estão pouco claras e não há uma atualização anual quanto aos processos da Melissa.

Por exemplo, a empresa diz que se preocupa com o meio ambiente, mas qual é a quantidade de material reciclado anualmente? Os funcionários que confeccionam as Melissas têm um plano de carreira, bom ambiente de trabalho e salário compatível com suas atividades? Quando essas perguntas se tornam difíceis de responder, fica claro que a empresa não divulga com transparência como funciona sua cadeia produtiva.

Confira abaixo mais detalhes sobre o Índice de Transparência da Moda da Melissa em 2019 (veja o documento completo aqui):

  1. Políticas e compromissos (políticas sobre direitos humanos e meio ambiente para funcionários e fornecedores) – Melissa: 9%
  2. Governança (quem é responsável pela área de impactos sociais e ambientais na empresa) – Melissa: 0%
  3. Rastreabilidade (lista e detalhamento dos fornecedores) – Melissa: 0%
  4. Conhecer, comunicar e resolver (implementação de novas políticas e divulgação de resultados de avaliações) – Melissa: 0%
  5. Tópicos em destaque (igualdade de gênero, trabalho decente, produção responsável, ações contra a mudança do clima) – Melissa: 5%

Após ver esses dados, fica claro que, embora busque ser uma marca sustentável e responsável, a Melissa é pouco clara em como faz isso. Por exemplo, você continuaria usando a marca se soubesse que os funcionários que fabricam suas Melissas ganham extremamente pouco? Muitos deixariam de comprar e isso afetaria diretamente a empresa, que precisaria tomar alguma ação.

Olhando para os números acima, fica claro que a Melissa tem um longo caminho para deixar seus processos mais transparentes. Afinal, se não há nada de errado, qual é o problema em divulgar?

Assine a nossa newsletter para receber todas as novidades do Garage Sale Melissa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *